quarta-feira, 3 de maio de 2017

Rubrica “Visto por Fora” - Entrevista à atleta Eliana Ferreira (CD Ourentã)





DNA

Nome: Eliana Ferreira

Clubes: Atlético Clube Alfenense (AF Porto), EDC Gondomar (AF Porto), CCD Veiros (AF Aveiro), Santa Luzia FC (AF Viana do Castelo) e Clube Desportivo Ourentã (Coimbra)

Palmarés:

Campeã Nacional Universitária pela FADEUP

Vice-campeã Distrital da AFPorto pelo clube EDCG

Vencedora do Campeonato Académico do Porto - CAPs

Vencedor da Taça de Honra da AFCoimbra pelo clube CDO


ARCA: Como surgiu o gosto pelo futsal e quais são os seus objectivos?
O Desporto desde cedo que faz parte da minha vida, já pratiquei outras modalidades, mas quando tive de optar, a paixão pelo futsal falou mais alto e já lá vão 12 anos.
Enquanto praticante da modalidade tenho como objetivo continuar a aprender e a desfrutar. Gosto de ter objetivos bem definidos e aliciantes para cada época, e enquanto me identificar com os projetos, enquanto conseguir e for feliz a jogar futsal, para mim faz todo o sentido continuar.

ARCA: Que percurso efectuou no futsal até aos dias de hoje?
Comecei o meu percurso no futsal pelo Desporto Escolar, a convite do meu professor de educação física, onde conseguimos chegar às finais, a nível nacional.
Na mesma altura surgiu o convite do Alfenense, clube da minha terra, onde tive a sorte de ter uma excelente formação júnior. Foram seis anos com o mesmo símbolo ao peito (três deles a disputar o competitivo campeonato distrital de juniores femininas do Porto da altura), onde encontrei todas as condições para crescer na modalidade.
O mais importante do meu percurso, é sentir que de todas as equipas por onde passei consegui retirar aprendizagens, competindo com as melhores.




ARCA: Como surgiu o convite para representar o clube de Ourentã e o que levou aceitar?
O interesse por parte do Ourentã já era antigo, mas na altura, para a minha decisão, pesou bastante o facto de preferir competir no campeonato nacional, no qual participava desde a primeira edição. Por outro lado, só aceitei o convite quando achei que tinha condições para abraçar o projeto a 100%. O facto de competir noutro distrito acarreta outras contrariedades e o cansaço é a triplicar.
Apesar de todos os contratempos que o clube tem passado, a direcção é incansável e acredito que tem todas as condições para sermos cada vez mais equipa e mais competitivos.      


ARCA: Que diferenças encontras-te entre a AF Coimbra e a AF Porto e como foi a transição?
A AF Coimbra não ter equipas juniores femininas será sempre um fator que a condiciona, de forma muito negativa, em relação às outras associações. Assim como as dimensões de certos pavilhões, que não são adequadas ao jogo.
No entanto, fiquei agradavelmente surpreendida com a forma como as pessoas em Coimbra, acompanham, vibram e apoiam o futsal feminino, a grande adesão aos pavilhões conimbricenses acho que é motivadora para qualquer jogadora.
A transição não é fácil, a organização, as equipas, as jogadoras, os pavilhões, toda esta nova informação tem de ser processada o mais rápido possível.
Contudo, o campeonato distrital de Coimbra foi uma agradável surpresa, surgindo este ano a um bom nível, bem visível na tabela classificativa. A luta foi bem renhida até à ultima jornada, e este campeonato não se resumiu a uma ou duas equipas. Atrevo-me a dizer que terá sido dos campeonatos distritais femininos mais competitivos. Parabéns a todos os clubes, que têm feito um excelente trabalho pela evolução da modalidade no distrito.


ARCA: Por fim gostarias de deixar algumas palavras aos seguidores do blog ARCA – Futsal Feminino em Coimbra?

Aproveito para agradecer o excelente trabalho de divulgação da modalidade por parte do blog ARCA, e aos seus seguidores, que continuem a acompanhar o futsal feminino no blog ARCA e nos pavilhões.

Sem comentários: